…::GODS POWER PT::…

BEM VINDO AO GODS POWER PT

DIVERTE-TE E CONTRIBUI COM ALGO
E NÃO TE ESQUEÇAS DE VOTAR ENQUANTO
OUVES A RÁDIO NEXT
Se esqueceu a sua senha clique em Recuperar senha

ABRAÇO

susyferry
…::GODS POWER PT::…

GODS POWER PT onde encontras de tudo um pouco, até amigos visita confere ajuda para seres ajudado obrigado











 width=





    Matosinhos : Visitam mãe que saiu de um parto traumático e vigiam bebé

    Compartilhe
    avatar
    henrike
    Sub Administrador
    Sub Administrador

    Troféus, Medalhas. Troféus, Medalhas. : :1
    *****
    :2
    *****
    :3
    Diz de tua justiça..... :

    Masculino
    Número de Mensagens : 2422
    Idade : 65
    País de Origem :
    Alertas :
    0 / 1000 / 100

    Data de inscrição : 17/01/2010

    RPG
    Warm:
    0/0  (0/0)
    Fotos:
    0/0  (0/0)

    Matosinhos : Visitam mãe que saiu de um parto traumático e vigiam bebé

    Mensagem por henrike em Seg Mar 29 2010, 10:20

    Raquel abre a porta de casa e as enfermeiras,
    especialistas em saúde infantil e pediatria, entram sorridentes, munidas
    de um computador, uma balança de bebé e palavras de ânimo para uma mãe
    acabada de sair de um parto traumático. Ana Rita Vieira e
    Alexandra Correia sentam-se na sala, conversam com Raquel sobre a
    evolução do Henrique e revêem os truques para o acalmar quando desata a
    chorar. Abrem o computador e mostram alguns vídeos com som para ajudar a
    mãe a identificar por que chora o filho. No portátil, Raquel segue
    atentamente os bebés que gritam e se agitam de forma diferente,
    consoante têm dores, fome, fadiga, desconforto ou tédio. Depois
    passam à prática e vão pesar o recém-nascido. O Henrique engordou mais
    do que o normal numa semana. A mãe sente-se aliviada. Não é o primeiro
    filho de Raquel Silva, mas desta vez tudo parece diferente. No final da
    gravidez teve pré-eclampsia (aumento da pressão arterial) e o parto teve
    de ser apressado. Uma cesariana que transformou o bloco operatório do
    hospital numa cena de "filme". Raquel achou que não ia sobreviver e a
    violência daqueles momentos abalarou-a psicologicamente. "Na primeira
    semana não conseguia esboçar um sorriso", conta. Quando teve
    alta, ainda se sentia à deriva e as visitas domiciliárias foram "um
    conforto, um descanso, um luxo". "Só sabermos que alguém vem cá ver se
    está tudo bem é optimo. Não sentia forças para sair de casa", conta
    Raquel, lembrando que, para piorar, naqueles dias "estava um temporal
    horrível para sair com o bebé". O Henrique fez o teste do pezinho no
    conforto do lar, Raquel não teve de se ausentar para mudar os pensos e
    tirar os pontos. "Multipliquem-se! Este serviço é mesmo importante",
    conclui a utente.

      Data/hora atual: Qui Nov 23 2017, 20:17