…::GODS POWER PT::…

BEM VINDO AO GODS POWER PT

DIVERTE-TE E CONTRIBUI COM ALGO
E NÃO TE ESQUEÇAS DE VOTAR ENQUANTO
OUVES A RÁDIO NEXT
Se esqueceu a sua senha clique em Recuperar senha

ABRAÇO

susyferry
…::GODS POWER PT::…

GODS POWER PT onde encontras de tudo um pouco, até amigos visita confere ajuda para seres ajudado obrigado











 width=





    Não há crise de alternadeiras na noite do Porto

    Compartilhe
    avatar
    henrike
    Sub Administrador
    Sub Administrador

    Troféus, Medalhas. Troféus, Medalhas. : :1
    *****
    :2
    *****
    :3
    Diz de tua justiça..... :

    Masculino
    Número de Mensagens : 2422
    Idade : 65
    País de Origem :
    Alertas :
    0 / 1000 / 100

    Data de inscrição : 17/01/2010

    RPG
    Warm:
    0/0  (0/0)
    Fotos:
    0/0  (0/0)

    Não há crise de alternadeiras na noite do Porto

    Mensagem por henrike em Seg Abr 12 2010, 09:01

    SEF identifica 429
    estrangeiras em 40 bares. Só no Porto, 33 das 74 identificadas estavam
    em situação irregular.




    Trinta e três das 74
    mulheres identificadas, ontem de madrugada, pelo SEF em três bares do
    Porto, estavam em situação de permanência irregular no país. Quatro
    ficaram detidas; houve 19 detenções no país. Ali, as coimas aplicadas
    foram entre 4 mil e 480 mil euros.O número de alternadeiras
    encontradas nos três bares do Porto não surpreendeu os responsáveis do
    Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), numa operação que decorreu
    em todo o país e foi coordenada, a partir do Porto, pelo inspector Mário
    Neves. "O que ficou acima do esperado", afirmou, ao JN, o coordenador
    do departamento regional de investigação da Direcção Regional do Norte
    do SEF, "foi terem detectado tantas mulheres em situação irregular
    dentro das casas" de diversão nocturna.E os números dão forma à
    surpresa. Nas três casas-alvo da operação no Porto (foram fiscalizadas
    40 casas no país), o SEF verificou que entre as 74 mulheres
    identificadas 33 estavam em situação de permanência irregular em
    Portugal - isto é: quase metade das alternadeiras identificadas. Destas,
    segundo Mário Neves, 29 foram notificadas a abandonar o país e quatro
    ficaram detidas por estarem ilegais.Num dos bares, os elementos
    do SEF tiveram uma surpresa. Entre as mulheres identificadas
    encontrava-se um grupo de cidadãs da América Latina que estariam a
    trabalhar como bailarinas. O que é ilegal, tendo em conta que não teriam
    contrato de trabalho.Noutro bar, a operação põe uma jovem, que
    não aparenta ter mais do que vinte anos, a chorar. Agarrada ao
    telemóvel, em pranto, contaria a alguém o castigo que lhe deveria ser
    aplicado alegadamente por estar ilegal: a detenção e consequente
    abandono do país. Há outras que pedem para ir a casa buscar a sua
    identificação, o que lhes é negado por elementos do SEF que admitem,
    porém, que elas ou alguém possa contactar seus familiares ou conhecidos
    para lhe trazerem os documentos.Mais a Norte, noutro bar, apurou o
    JN, elementos do SEF admitem que algumas alternadeiras tenham escapado à
    identificação. Encontraram uns sapatos junto a uma escapatória e
    verificaram que havia um buraco no telhado de uma casa ao lado do bar
    por onde elas terão fugido.Cem casas de alterneEsta
    operação a nível nacional, segundo o inspector Mário Neves, dando nota
    do comunicado ontem divulgado pelo SEF, envolveu 172 elementos daquela
    força policial. Foram identificados 429 cidadãos estrangeiros; 19 foram
    detidos por estarem ilegalmente no país e a 45 (29 das quais no Porto)
    foi instaurado o processo para abandono voluntário do país no prazo de
    vinte dias.Segundo o SEF, foram instaurados, aos proprietários
    das casas daquelas casas de diversão nocturna, 20 processos de
    contra-ordenação por emprego de estrangeiros não autorizados a exercer a
    sua actividade profissional. No Porto, apurou o JN, as coimas aplicadas
    aos três bares visados pelo SEF foram de valores que variam entre 4 mil
    e 20 mil euros; 90 mil e 480 mil euros; e 96 mil e 480 mil euros."A
    nossa acção foi verificar se há prostituição ou mulheres ilegais nessas
    casas", explicou Mário Neves, salientando que na zona de acção da
    Direcção Regional do Norte estão identificadas 100 casas de alterne
    licenciadas". E, pelo número de mulheres encontradas nos três bares
    visados ontem, no Porto, constataram uma singular evidência: não há
    crise de alternadeiras.

      Data/hora atual: Qui Nov 23 2017, 20:09