…::GODS POWER PT::…

BEM VINDO AO GODS POWER PT

DIVERTE-TE E CONTRIBUI COM ALGO
E NÃO TE ESQUEÇAS DE VOTAR ENQUANTO
OUVES A RÁDIO NEXT
Se esqueceu a sua senha clique em Recuperar senha

ABRAÇO

susyferry
…::GODS POWER PT::…

GODS POWER PT onde encontras de tudo um pouco, até amigos visita confere ajuda para seres ajudado obrigado











 width=





    Líder do PS francês diz-se 'estupefacta' e compara acusação a 'uma trovoada'

    Compartilhe
    avatar
    tstonho
    Sub Administrador
    Sub Administrador

    Masculino
    Número de Mensagens : 53
    Idade : 58
    País de Origem :
    Alertas :
    0 / 1000 / 100

    Data de inscrição : 28/12/2008

    RPG
    Warm:
    0/0  (0/0)
    Fotos:
    0/0  (0/0)

    Líder do PS francês diz-se 'estupefacta' e compara acusação a 'uma trovoada'

    Mensagem por tstonho em Seg Maio 16 2011, 13:35

    Líder do PS francês diz-se 'estupefacta' e compara acusação a 'uma trovoada'



    A líder do Partido Socialista francês, Martine Aubry, mostrou-se hoje «estupefacta» com a a acusação do director do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, comparando-a a «uma trovoada», noticia a agência France Press.
    Dominique Strauss-Kahn, diretor-geral do FMI e candidato socialista favorito nas sondagens para as presidenciais francesas de 2012, foi hoje acusado formalmente de agressão sexual e de tentativa de violação, horas depois de ter sido detido no aeroporto JFK de Nova Iorque, onde se preparava para viajar para a Europa.

    «As notícias que nos chegaram de Nova Iorque esta noite caíram como uma trovoada. Eu própria estou totalmente estupefacta», declarou a líder dos socialistas de França, numa curta declaração aos jornalistas, proferida na Câmara Municipal de Lille, norte do país.

    Apelando a todos para que «aguardem a realidade dos factos e respeitem a presunção de inocência», a dirigente do PS francês pediu ainda a todos os socialistas que «permaneçam unidos e responsáveis».

    «Esta notícia é um choque que nos desconcerta. Creio que temos que ser contidos, aguardando com prudência e decência», declarou por seu turno à France Presse, em Paris, o deputado Pierre Moscovici, braço-direito de Dominique Strauss-Kahn no Partido Socialista.

    Também a socialista Ségolène Royal já se pronunciara endo mesmo sentido de Martine Audry e Pierre Moscovici.

    Apelando à contenção dos políticos de modo a que ninguém obtenha dividendos com a situação, Ségolène Royal considerou a acusação a Strauss-Kahn «perturbadora» e «um choque».

    Sublinhou, porém, que os factos estão por «verificar» e que, como qualquer pessoa, o acusado tem direito à presunção de inocência.

    Lusa / SOL

    Tags: Internacional

      Data/hora atual: Qui Nov 23 2017, 20:22